25 fevereiro 2010

Raciocínios e reflões de caminhadas...

É difícil conviver com os medíocres voluntários que passam gratuitamente aos outros o controle, e a supervisão de tudo aquilo que lhes é para causar gosto, ou aversão.
Pois de nada adianta interventer?
Disso já estou cansada de saber.
Porém mesmo sabendo que não é possível ajudar uma pessoa que não está disposta a ser ajudada, continuo procurando alguém, e continuo a lutar pelo bem daquelas pessoas egocêntricas, anônimas (mas que sempre existem por perto) espalhadas e infiltradas em todos os lugares, que só prejudicam a sociedade, e só me dão desgosto...

Lutar e me corromper somente por uma ínfima minoria me parece ser a maior contradição.
E como já também sei que é destino dos singulares serem ignorados pelos massificados, me dedicar exatamente pelas pessoas que não estão interessadas pelo meu bem, é o que me faz mais nobre.

4 comentários:

Nino disse...

O mundo não é perfeito, nem todas as pessoas são felizes, mas graças a Deus existirá sempre a esperança que nos motiva a lutar por nossos ideais.

Mah! disse...

Graças a... Deus?

Nino disse...

Entenda Deus como qualquer força superior que te motive a seguir seus objetivos. Muitas vezes Deus somos nós mesmos, outras vezes são outras pessoas, na maioria, Deus é uma fé, e isso também é muito salutar, não confundir com mitologia barata que tem por único intuito o de controlar indivíduos.

Guilherme disse...

!!!!!
Altamente filosófico!!!!

.... e necessário é pensar assim, para todos aqueles q sao egocentricos, para q mudem!